O uso da magia nos relacionamentos amorosos - MyPixeland
  •  
  •  
  •  




Trago a pessoa amada em 24 horas. Quem nunca leu essa frase em um poste ou em um cartaz de gosto duvidoso? Pois bem. Muitos ditos espiritualistas trabalham com promessas em relação aos seus trabalhos de cunho espiritual. O que nos deixa sempre com uma pulga atrás da orelha. Será que as chamadas “amarrações amorosas” funcionam?

Antes de responder a essa pergunta, caro leitor, façamos uma reflexão. Imaginemos que você entrou em um site de relacionamentos e começou a conversar com uma pessoa num país asiático. Você acredita que está apaixonado e decide fazer uma amarração para esta pessoa.

Pensemos bem. Mesmo que a feiticeira do anúncio trabalhe muito, muito bem, é impossível que essa pessoa esteja em sua companhia em até 24 horas. Nem que ela viesse em um jatinho particular… Claro que estamos brincando. Mas a verdade é que não existe nenhuma garantia em magias deste tipo. E, francamente, nós não recomendamos esse tipo de prática.

Eis o porquê: toda e qualquer magia que mexa com o livre-arbítrio de outra pessoa é chamada de magia negra. O que, além de não ser ética, em nosso ponto de vista, há também uma chance enorme de não funcionar. E quando funciona, o resultado posterior pode ser trágico.

Na maioria das vezes, a pessoa “amarrada” espiritualmente fica um tanto apática ou incomodada ao lado de quem “forçou a barra” e pagou pelo trabalho. Esses feitiços, aliás, têm prazo de duração e não costumam passar de 7 anos.

E então você pode questionar que talvez valha a pena arriscar-se a comprometer-se com uma entidade trevosa para manter alguém obrigado ao seu lado por 7 anos. Mas pense bem: quem pode garantir o que acontecerá depois?

Uma história que nos foi presenciada: uma mulher conheceu um homem casado e, embora soubesse desde o início que este homem era comprometido, apelou para as forças da magia para “tirá-lo de casa”. Contratou uma feiticeira que, mediante a um bom pagamento, fez uma amarração amorosa para o rapaz, que na ocasião era pai de um filho.

O homem começou a beber muito e a brigar com a esposa que, depois de descobrir a traição, decidiu separar-se. A amante, então, passou a viver com o homem. Coincidentemente, exatos sete anos depois, ela finalmente engravida deste homem e tudo parece entrar nos eixos. Eles estão com uma casa montada e ela, grávida, está no carro com ele. Eis que sofrem um acidente de carro e ela perde o bebê. O homem fica traumatizado e inexplicavelmente decide dar um fim à relação. Resultado: ela perdeu o filho e o amante.

Se você perdeu alguém que amava, ou está pensando em amarrar alguém, saiba que existem outras alternativas. Cuide de suas energias para atrair o melhor para você clicando aqui.

Comentários