As fantásticas mentiras do cinema sobre o Tarot - MyPixeland
EsoterismoTarot

As fantásticas mentiras do cinema sobre o Tarot

Em pleno século XXI, muitas pessoas acreditam que o tarot/tarô é uma forma de se conectar com espíritos ou entidades desencarnadas que já viveram na Terra. Talvez em parte por culpa do cinema e das artes. Afinal, a imagem caricata de uma pessoa de turbante incorporando em frente a uma mesa com bola de cristal e cartas já foi muito explorada pelos filmes de Hollywood. Recentemente na série O Mundo Sombrio de Sabrina, da Netflix, uma das personagens joga o tarot de uma forma digamos estereotipada, com direito a demônios, mortes etc. MyPixeland, entretanto, discorda educadamente do imaginário popular, que apenas reforça o medo desnecessário nas pessoas. Portanto, fique tranquila(o): não existe nenhuma relação entre o tarot e o contato com os mortos, não é demoníaco e nem propõe pactos com espíritos.

O tarot se atém às questões humanas e permite livre acesso ao inconsciente coletivo. Tanto que essas cartas foram objeto de estudos de Carl Gustav Jung, um dos pais da psicologia, contemporâneo de Freud. Assim, evangélicos, ateus, católicos, budistas, agnósticos, muçulmanos, judeus e espíritas, pessoas comuns e de qualquer religião podem se consultar através de uma abordagem terapêutica para entender melhor o momento de suas vidas. O autoconhecimento é extremamente positivo para qualquer pessoa e revela aquilo que nem sempre temos habilidade de enxergar sozinhos.

De acordo com alguns estudiosos, o tarot tem sua origem no Egito, inicialmente com os 22 arcanos maiores, que teriam sido criados para trazer informações preciosas de como o povo egípcio deveria agir para ter mais felicidade. Posteriormente teriam sido incorporadas as 56 cartas restantes, chamadas de arcanos menores, totalizando as 78 lâminas com as quais jogamos hoje. Algumas cartas inclusive estão presentes no baralho normal, como o Ás de Espadas, o Valete ou Pajem de Copas, o Rei de Ouros e a Rainha de Paus.

Embora também seja associado às práticas místicas, esotéricas, atualmente o tarot é  considerado altamente terapêutico, principalmente no exterior. Em ambientes menos dogmáticos e países de primeiro mundo, é amplamente utilizado em consultórios. Trata-se de um intermediário entre quem joga, o oraculista, e o inconsciente de quem procura a consulta, a(o) cliente. E pode ser de grande valia para as fases complicadas de nossas vidas, tais como: nascimento, morte, separação, perda ou conquista de um novo emprego, romance, menopausa, saída dos filhos de casa, entre outras.

Como funcionam as “previsões”?

Quando jogamos o tarot, captamos os medos, os traumas, as angústias e as esperanças da(o) cliente. E por essas informações nem sempre estarem presentes de forma consciente, muitas vezes a pessoa não se dá conta de que é possuidora de todas as respostas. Então, muito mais do que prever o futuro, o tarot prevê possibilidades, aponta caminhos e soluções diante das escolhas conscientes e ocultas que fazem parte da vida de cada pessoa. É mágica? Até certo ponto, sim. Mas é muito mais racional do que você imagina.

Tomemos como exemplo uma mulher em fase de separação, logo após descobrir uma traição do esposo. Esta mulher então procura por uma consulta de tarot online para saber quais serão os rumos de sua vida a partir de agora. O tarot revela uma energia estagnada, representada pelo arcano XII, O pendurado/o enforcado. Essa carta nos mostra que a cliente está em profundo sofrimento e que recusa-se a querer sair desta situação.

Então, dizemos para ela que, se nada for alterado, infelizmente ela prolongará esse sofrimento por muito tempo. Digamos, entretanto, que essa mulher esteja confiante de assumir as rédeas da própria vida. Então, o mesmo Arcano XII vai trazer uma outra mensagem: que ela olhe por um novo ângulo para tudo o que aconteceu e que possa aprender com os erros e refazer o próprio caminho. Então, o tarot diz exatamente em qual fase da jornada da vida ela está e qual é a atitude mais coerente para que ela atinja os objetivos. Por isso, é imprescindível que o oraculista seja alguém sensato e preparado para dar os melhores conselhos para uma mudança profunda e efetiva.

Em MyPixeland, atendemos a uma cliente que havia recebido uma proposta de trabalho em outra cidade. As cartas apontavam que ela iria conseguir, mas que havia algo oculto em relação à contratante e que ela precisaria estar atenta. Ela então redigiu um contrato com as cláusulas. E salientou por e-mail e telefone todas as condições do projeto, várias vezes. Prosseguiu com a negociação e fechou o trabalho, recebendo os 50% iniciais sem problemas. Quando finalizou-se o projeto, na hora de receber o restante do dinheiro, a contratante não quis honrar com a forma de pagamento. Embora tudo estivesse explícito no contrato. Então ela precisou conversar de forma mais contundente e, depois de um pequeno estresse, recebeu o valor devido. Ou seja: o tarot foi extremamente eficaz porque disse que o trabalho seria positivo, mas que seria preciso olhar os pormenores ocultos na questão. Como dizem no imaginário popular: as cartas não mentem!

E você, está passando por algum problema ou situação que precisa ser olhada, esclarecida ou abordada por outra pessoa? Você tem dúvidas sobre qual caminho seguir? Se você chegou até este ponto do texto, comente e diga como uma consulta de tarot pode lhe ajudar. Se quiser realizar uma consulta ao vivo, com um terapeuta online agora mesmo, clique aqui.

Comentários

Artigos relacionados

Fechar